Senado Proíbe nas Escolas a venda de Refrigerantes


A garantia de uma alimentação adequada nas escolas de ensino básico do país depende agora da aprovação dos deputados federais.

O Senado concluiu,ontem,a votação do projeto de lei que proíbe cantinas e lanchonetes instaladas em escolas de venderem bebidas com baixo teor nutricional,como os refrigerantes,ou alimentos com quantidades elevadas de açúcar, gordura saturada,gordura trans ou sal.

A montagem dos cardápios destes estabelecimentos é motivo de preocupação em alguns estados,que definiram normas para cardápios oferecidos aos alunos,mas,até hoje,não há regra que padronize a medida nacionalmente.

O assunto é discutido no  Congresso há quase oito anos,os senadores esperam uniformizar a qualidade dos alimentos e estimular  as ações de educação nutricional e sanitária nas escolas.

O projeto havia sido aprovado,no entanto,como a decisão é terminativa,a medida precisou ser submetida a segundo turno de votação,o projeto segue agora para apreciação da Câmara dos Deputados.

Em São Gonçalo escolas estaduais aderem a greve


Em greve parcial,desde o último dia 08/08,professores da rede estadual  de ensino aderiram à greve em sua totalidade ontem,na manhã de ontem,todas as escolas de rede estadual de ensino de São Gonçalo não tiveram aula.

À tarde,os profissionais da rede estadual realizaram ato com os profissionais das escolas técnicas estaduais,que também estão em  greve,em frente a casa do governador Sergio Cabral,no Leblon RJ,amanhã,acontece assembleia geral da rede estadual,na Tijuca,para definir o rumo da greve.

De acordo com a diretora do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação do Rio de Janeiro(Sepe),Beatriz Lugão,uma das reivindicações  dos profissionais é quanto o veto do governador à emenda aprovada pela Alerj,em maio,que determinava que cada professor só pode trabalhar em uma escola para cada matrícula.

O governo do estado se comprometeu a reavaliar com prioridade as últimas medidas anunciadas pela Secretária Estadual de Educação para reprimir a greve nas escolas e não o fez,estamos nos reunindo para cobrar melhores condições de trabalho para os professores e funcionários da área administrativas.

Em nota,a Secretaria de Estado de Educação(Seeduc) informou que o secretário de Estado de Educação,Wilson Risolia,recebeu,ontem,representantes do Sepe,mas não houve nenhum acordo.

 

Fonte:OSG